UMA MULHER INOVADORA NO MUNDO DOS DESTILADOS

por | 14 abr, 2023 | 0 Comentários

ALINE BORTOLETTO AJUDA A DESENVOLVER NOVOS PRODUTOS DESTILADOS E AINDA ENSINA A PROFISSÃO DE SOMMELIER DE CACHAÇA

Foi durante uma especialização na França, que abriga as regiões onde são produzidos alguns dos melhores vinhos e espumantes do planeta, que Aline Bortoletto, a estudante curiosa de ciências de alimentos da Esalq-USP, de Piracicaba, se encantou com os aprendizados de produção de bebidas alcoólicas que incluíam análise sensorial, psicologia cognitiva e compostos aromáticos, da Université de Bourgogne e na AGROSUP, em Dijon. “Antes eu não trabalhava com destilados, e comecei a ter o interesse depois dessa experiência que vivenciei na França”, conta.
De volta ao Brasil decidiu partir para a área de pesquisa e inovação com foco em sistemas de garantia e controle de qualidade química e sensorial na produção de bebidas. Com as experiências tão enriquecedoras vivenciadas na universidade dos dois países resolveu atuar com bebidas destiladas. Para isso, fundou a INOVBEV Pesquisa e Desenvolvimento de Bebidas, em Piracicaba. “A INOVBEV nasceu na ESALQ/USP com a necessidade e intenso desejo de protagonizar uma nova era na indústria de bebidas”, conta Aline.
Apesar de ainda ser um universo bem masculino, Aline conta que tem crescido bastante o número de mulheres interessadas em atuar nesta área. “Trabalho como desenvolvedora de processos e produtos. Tenho visto muitas produtoras tomando a frente dos negócios e lançando novas marcas de destilados. Para se ter uma ideia, na parte de sommelier de cachaças, onde temos um curso e atuo como professora, a maioria das participantes são mulheres”, diz.
Aline explica que para fazer análise da bebida não é necessário consumir a bebida. Ela conta que principalmente na sommelieria, quem está no momento de estudo, não consome. “Já trabalhei, por exemplo, com 120 marcas de gin do Brasil e mesmo estando grávida e amamentando foi possível fazer toda análise sensorial. Você até coloca na boca, mas não engole, não tem a ingestão do álcool. Estudamos os aromas com as rodas sensoriais”, diz. Sommelier de cachaça passou a ser reconhecida como profissão pelo Governo Federal, em 2021.

Roda sensorial da cachaça
Quando fazia doutorado, em 2013, Aline inovou e criou a roda sensorial da cachaça. “Trata-se de uma importante ferramenta para treinamento sensorial de provadores de cachaça”, conta. E atualmente mais de 3 mil pessoas já fizeram o curso on-line. Os alunos matriculados recebem todo o material necessário em casa. “O sommelier de cachaça é um profissional que vem ganhando destaque no mercado”, diz.
Além disso, Aline é responsável pelo desenvolvimento de novas bebidas destiladas. Dentre os trabalhos que já realizou estão a destilaria Santa Capela, que conta com uma produção artesanal em alambique de cobre que ajuda a expressar todos os aromas e as essências; e a destilaria Octaviano Della Coletta, que reuniu três mulheres visando desenvolver a cachaça Alzira, em homenagem a matriarca da família. Aline foi conquistando espaço no mercado e hoje atua como master blender e desenvolvedora de produtos da Margô, Vilela, Capueira, Gouveia Brasil, Indiazinha, LIGALI, Tonon, entre outras.
Na destilaria H. Weber, ela acompanhou todo o desenvolvimento da cachaça Weber Haus Diamant 21 Anos. Trata-se de um projeto bem exclusivo que nasceu da amizade entre pai e filho, evoluindo por mais de duas décadas e consistindo em apenas 1000 garrafas (únicas da história), contando com um diamante de 3,65mm incrustado na garrafa.

Do alambique Santa Rufina nasceu a Cachaça Sebastiana. Envelhecidas em barris de Carvalho e Castanheira, as cachaças Sebastiana já acumulam 22 premiações, sendo nacionais e internacionais.

Além disso, ela acompanha todo desenvolvimento da destilaria de gin, Beg Gin, desde a criação da marca, da fábrica.

Conheça a lista dos destilados mais consumidos no Brasil
Cachaça
A cachaça é uma aguardente produzida do caldo da cana-de-açúcar. Foi criada no século XVI. Sua história está ligada ao período colonial brasileiro. Segundo o IBRAC (Instituto Brasileiro da Cachaça), existem cerca de 40 mil produtores desse destilado, distribuídos principalmente em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraíba, Ceará e Pernambuco.

Sommelier de cachaça passou a ser reconhecida
como profissão pelo Governo Federal, em 2021.

Vodka
Com origem russa, a vodka pode ser produzida com matérias-primas orgânicas, como trigo, centeio, cevada, arroz, batata e outros. Muito consumida em boates e festas, inclusive na forma de shots, além de ser muito utilizada na preparação de coquetéis e drinks de todos os tipos.

Gin
Para muitos, é a bebida do momento. É um dos destilados mais antigos que existem, sendo a combinação de uma bebida clássica com um toque diferenciado. Feita a partir de infusão de especiarias com água e álcool neutro, é uma opção sofisticada que permite a combinação de diversos drinks.

Conhaque
Produzido a partir da destilação de vinhos brancos, seu consumo anual está estimado em mais de 50 mil litros. O processo de fabricação é bem variado e pode ser feito a partir de frutas. Com essa preparação, a substância não precisa ser envelhecida e é caracterizada por possuir uma cor mais clara. Já as bebidas que são envelhecidas podem ser armazenadas em barris de carvalho ou passar pelo sistema de soleira.
Whisky
Produzido com água, fermento e grãos, como trigo, cevada ou milho, o whisky leva mais tempo para ficar pronto. Uma das etapas do processo é a maturação, que requer a bebida armazenada por anos em barris, visando a apropriação de sabores e aromas ao líquido.

Leia mais

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.