A VIDA E A ARTE DE CAMILO RIANI

por | 13 jul, 2023 | 0 Comentários

Um mergulho na trajetória inspiradora do renomado artista visual, caricaturista e professor, que levou o nome de Piracicaba para o mundo

“Desde quando é conhecido por gente, Camilo Riani faz os seus rabiscos. Um relacionamento sério, compenetrado, divertido e que, com o passar do tempo, amadureceu. Cresceu, ganhou forma, sutileza, singularidade. A lealdade de Camilo com a arte se mantém firme e forte. Como um enlace deve ser”. Este pequeno trecho do livro Pira Cartum – Homenagem a 32 cartunistas e ilustradores de Piracicaba nos 45 anos do Salão de Humor retrata um pouco da vida e obra de Camilo Floriano Riani Costa, artista nascido em Rio Claro, mas que tem coração piracicabano.

A arte o escolheu
O décimo dos 13 filhos do casal Aristóteles Costa e Clotilde Amélia Riani Costa, Camilo Riani, desde criança sempre teve contato com a arte, mas jamais imaginou que seguiria uma carreira nesse campo. “Eu ouvia constantemente que deveria ser um artista. Minha família, meus professores, pessoas que observavam meu trabalho, todos me diziam isso. A arte sempre foi uma parte tão natural da minha vida, tão visceral, que eu não conseguia enxergá-la como uma profissão quando era criança e adolescente”, conta Riani.

No entanto, sua paixão pela arte e o encontro com o humor gráfico mudaram sua perspectiva. Riani encontrou na caricatura e no humor uma linguagem que o fascinou e o impulsionou a explorar sua criatividade. “Esse foi um fato crucial que moldou toda a minha trajetória, incluindo minha conexão com Piracicaba, cidade importante para mim. Eu percebi o quão legal era aquilo”, diz.

Depois de passar pelas faculdades de Educação Física e Psicologia, decidiu cursar Comunicação Social – Publicidade, que era o curso que mais se aproximava das artes gráficas. “Tudo o que eu fazia estava relacionado à arte, era como se tudo ao meu redor estivesse permeado por ela”, destaca.

No último ano da graduação, em 1991, surgiu o concurso da Folha de São Paulo, que buscava descobrir novos talentos da ilustração. O prêmio era uma vaga de trabalho no jornal e Camilo venceu. Naquele mesmo ano, seu irmão lançou seu primeiro livro infantil na Bienal Internacional do Rio e Riani foi o ilustrador. “Em um único ano da minha vida, me vi completamente imerso no mundo da arte, dedicando 24 horas por dia a ela”, relembra.

Além da Folha, teve seus trabalhos publicados pelos maiores jornais e revistas do país, como Veja, Elle, Le Monde Diplomatique, O Pasquim-21, Ed. Globo, entre outros. Realizou trabalhos visuais para TV no “Programa Livre” (SBT/Serginho Groisman) e “Fanzine” (TV Cultura/Marcelo Rubens Paiva), além de ilustrações para dezenas de livros, como a publicação “É mentira Chico?”, reunião dos melhores caricaturistas do país organizada por Ziraldo em homenagem a Chico Anysio.

“A jornada não parou mais. Quando percebi, já era um artista de todas as formas possíveis, abraçado pela arte de uma maneira que eu nem imaginava. Foi uma trajetória incrível e emocionante que me levou a lugares que jamais imaginei alcançar”, compartilha.

Carreira e Reconhecimento
Camilo Riani construiu uma carreira sólida e repleta de conquistas. Além de sua atuação como caricaturista e artista visual, ele também se dedicou à pesquisa e ao ensino. Boa parte de sua trajetória se deu em Piracicaba. Em 1994, após receber um prêmio de caricatura, foi convidado a presidir o Salão Universitário de Humor em 1994, função que se dedicou por 25 anos, em paralelo com as aulas na Unimep – Universidade Metodista de Piracicaba.

“Esse trabalho no Salão Universitário do Humor foi fundamental, pois pude realizar outros grandes sonhos, como trazer exposições, colegas e fazer intercâmbios em Piracicaba. O Salão ampliou Piracicaba no cenário nacional e internacional como referência na área de arte e humor. Foi incrível ver como Piracicaba ganhou reconhecimento internacional nesse sentido”, relembra.

Ao longo da carreira, já recebeu mais de cinquenta prêmios, tanto no Brasil quanto no exterior. Entre eles, destaca-se o Troféu HQ-Mix/Associação dos Cartunistas do Brasil/SESC, conquistado por seu livro “Tá rindo do quê?”, resultado de seu Mestrado. A obra tem o prefácio do escritor, jornalista e ilustrador Ziraldo.

Riani também é detentor de um Doutorado e Pós-Doutorado em educação e imagem, sendo autor da Arte-Tese intitulada “Caricatas: arte-rosto-humor-experiência”, que também recebeu o Troféu HQ-MIX como a melhor Tese do país sobre o tema, com prefácio do escritor, humorista e cartunista Luís Fernando Veríssimo.

Criador da técnica ‘cartoongrafia’, na qual cartum e micro desenhos relacionados à vida e à personalidade do retratado são usados para compor uma imagem, conquistou pela terceira vez o Troféu HQ Mix (2019) ao lado de Maurício de Sousa e outros grandes nomes do cartum nacional, por sua atuação no documentário sobre os 45 anos do Salão Internacional de Humor de Piracicaba.

Muroarte: Uma Artexperiência Coletiva

Realizar uma imensa obra de arte coletiva em um muro de uma escola de Piracicaba foi a inspiração para mais um projeto idealizado por Camilo Riani e pela agência Neurônio Adicional, em 2019. Usando a técnica da cartoongrafia, a ideia foi transformar 120 m² do muro da Escola Dr. Prudente envolvendo estudantes, funcionários, familiares, comunidade e vizinhos da unidade de ensino. O painel final é uma verdadeira obra de arte preenchida por impressões das mãos dos participantes, representando a arte e a educação como “fontes de vida”. Elementos como pincéis, peixes, lápis e símbolos da cultura piracicabana também estão presentes na composição.

Em 23 de junho de 2023 a segunda etapa do projeto foi concluída. Mais 90 m² completou a imagem iniciada em 2019 para a instituição. Ao todo, mais de mil participantes contribuíram nas duas etapas, incluindo pessoas de diferentes idades, entre um e 90 anos, que deixaram seu registro no Muroarte. “Uma das grandes diferenças deste projeto é a participação democrática, já que qualquer pessoa pode deixar sua marca, que se soma a outras e outras, até compor uma verdadeira obra de arte”, conta.

O projeto conta com importantes parceiros, como a agência de comunicação Neurônio Adicional, coautora da obra, a Diretoria Regional de Ensino de Piracicaba, Acipi, Monumental Studio e a CCC Piazza, responsável por fornecer os materiais necessários para a pintura do painel. Riani explica que a ideia por trás do projeto é proporcionar uma experiência artística inédita para a população, unindo a sociedade civil, empresas e instituições. “Cada um assumindo suas responsabilidades ao lado de políticas públicas que estimulem a arte e a cultura”, ressalta o artista.

Frente aos desafios, a arte salva o artista e traz uma missão ainda maior
A primeira etapa do projeto Muroarte, em 2019, foi um grande marco para a vida de Camilo. Em entrevista à Trinova, ele contou que o participante mais velho do projeto foi seu pai, aos 90 anos. “Foi o último momento que fizemos algo juntos com tanta intensidade. No ano seguinte, ele se foi. Foi muito especial viver essa experiência ao lado dele”, conta.

Foi também nesse período que Camilo descobriu que tinha uma doença autoimune degenerativa conhecida como Espondilite Anquilosante, um tipo de inflamação que afeta as articulações provocando rigidez e dores. Foram períodos difíceis somados também à pandemia de Covid-19.

Para cuidar da saúde, deixou a presidência do Salão Universitário do Humor, suas artes e as aulas. O maior desafio para Camilo no enfrentamento da doença é que sua condição de saúde o impede de desenvolver obras individualmente. Foi nessa reflexão que a arte, mais uma vez, mostrou a importância de sua missão. “Por meio da arte coletiva, do projeto muroarte, foi a maneira que encontrei de continuar. Minha arte agora é a arte de todos, feita por todos, experienciada por todo mundo”, revela Riani.

Para tornar possível a segunda etapa do muro da escola Dr. Prudente e seguir com o projeto para outros locais também, Riani conta com uma equipe de peso. Seus irmãos Paulo Riani, Chico Riani e Amélia Riani, além da professora e consultora de projetos Rosana Zaccaria, se juntaram ao seu propósito de vida. “Acho que essa é a minha missão de vida hoje. Espalhar a importância da arte, mostrar que todos nós temos uma veia artística e que a arte é um poderoso meio de transformação”, completa Camilo com a certeza de que, ao fazer isso, contribui para um mundo melhor, mais sensível e mais conectado com a expressão criativa de cada indivíduo.

Link documentário: https://descubrasuarota.com/muroarte/

Leia mais

Projeto H. – Heroica.

Projeto H. – Heroica.

O Projeto teve início em 2014, com o intuito de acolher e aconselhar mulheres vítimas de violência, apoiá-las no...

#Cáentrenós

#Cáentrenós

Cristiane Teixeira Queridos Viajantes da Alma, Ao iniciar esta jornada na coluna #cáentrenós, senti que o primeiro...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

[mailpoet_form id="2"]