AVANÇOS DA MEDICINA REVOLUCIONAM O TRATAMENTO DE AVC

por | 8 jul, 2022 | 0 Comentários

TROMBECTOMIA MECÂNICA, PROCEDIMENTO INOVADOR EM CASOS DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL (AVC) ISQUÊMICO, E EMBOLIZAÇÃO, TERAPIA EFICAZ EM OCORRÊNCIAS DE AVC HEMORRÁGICO, SÃO ESPECIALIDADES DA NEUROCHIRURGIE.ME, CLÍNICA REFERÊNCIA EM PIRACICABA COMANDADA PELOS NEUROCIRURGIÕES ALFREDO WELTSON, DINARK VIANA E JOSÉ ZERAICK NETO

Existe uma estimativa alarmante de que uma a cada seis pessoas terá um Acidente Vascular Cerebral (AVC) na vida. E por se tratar de uma emergência médica, cada minuto é importante para salvar memórias, salvar a fala, salvar a mobilidade, salvar a vida! Isso porque a cada 1 hora de AVC isquêmico – que representa cerca de 80% dos casos – até 120 milhões de neurônios são perdidos, podendo comprometer a capacidade e a qualidade de vida do paciente,
deixando sequelas graves e até irreversíveis.
O Acidente Vascular Cerebral decorre de uma alteração do fluxo de sangue ao cérebro, responsável pela morte de células nervosas na região cerebral atingida. O AVC isquêmico ocorre quando há o entupimento das artérias, que levam sangue para o cérebro, ocasionando um infarto. Isso acontece devido a uma formação de placas em uma artéria principal do cérebro ou quando um trombo ou uma placa de gordura originária de outra parte do corpo se solta e, pela rede sanguínea, chega aos vasos cerebrais.

A TROMBECTOMIA MECÂNICA É COMO UM CATETERISMO CEREBRAL, QUE PERMITE DESOBSTRUIR A ARTÉRIA INTRACRANIANA, EXTRAINDO O TROMBO DO VASO ENTUPIDO, POR MEIO DO TRATAMENTO ENDOVASCULAR”, COMPLETA DINARK

O segundo tipo, menos comum, atingindo cerca de 20% dos casos, é o AVC hemorrágico, que ocorre quando há o rompimento dos vasos sanguíneos no interior do cérebro, formando um coágulo de uma maneira localizada por aumento descontrolado da pressão sanguínea ou se espalhando pelo cérebro, proveniente da ruptura de um aneurisma cerebral.

Trombectomia mecânica com stent retriever

TROMBECTOMIA MECÂNICA JÁ É REALIZADA EM PIRACICABA
Até a década de 1990 existiam poucos recursos para tratar ou reverter as sequelas de um AVC, mas o avanço da medicina revolucionou o atendimento dessa emergência médica. A Trinova conversou com a equipe da Neurochirurgie.me, clínica referência em Piracicaba, comandada pelos neurocirurgiões Alfredo Weltson, Dinark Viana e José Zeraick Neto, para saber as evoluções nesta área. Especialistas em diferentes procedimentos e cirurgias neurológicas, eles realizam na cidade e região a trombectomia mecânica, uma nova técnica que consiste na introdução de um cateter, que vai até o ponto de oclusão responsável pelo AVC isquêmico. Essa terapia, comprovada
por diversos estudos internacionais, chegou ao Brasil entre 2018 e 2020 em alguns centros especializados.
“Como o AVC é uma emergência médica; quanto mais rápido o atendimento, maiores são as chances de recuperação completa, diminuindo a mortalidade e as sequelas do paciente. Por isso, contar com a disponibilidade dessa nova terapia em nossa cidade é um grande benefício para as pessoas que não precisam se deslocar para receber um atendimento inovador e especializado”, destaca o neurocirurgião Alfredo Weltson.

COMO FUNCIONA A TÉCNICA DA TROMBECTOMIA MECÂNICA
De acordo com o neurocirurgião Dinark Viana, desde 1995 houve um importante avanço no tratamento de AVC isquêmico com o desenvolvimento de novas terapias medicamentosas, como a alteplase (trombolítico), que restaura o fluxo sanguíneo para o cérebro. “Porém, esse medicamento precisa ser realizado em até 4 horas e meia do início dos sintomas e até 25% dos pacientes podem não melhorar com essa medicação”, explica.

O desafio dos pesquisadores passou a ser, então, conseguir cada vez mais aumentar o tempo em que pacientes poderiam receber tratamento. Dessas pesquisas surgiu uma inovadora modalidade no tratamento do AVC chamada de trombectomia mecânica. “É como um cateterismo cerebral que permite desobstruir a artéria acometida extraindo o trombo do vaso entupido, por meio do tratamento endovascular”, completa Dinark.

EXISTE UMA ESTIMATIVA ARMANTE DE QUE UMA A CADA SEIS PESSOAS TERÁ UM AVC NA VIDA

O procedimento pode ser aplicado em até 24 horas do início dos sintomas. As regras, segundo os neurocirurgiões da Neurochirurgie.me, se baseiam no estado cerebral do paciente avaliado a partir de tomografia e ressonância do cérebro para que o médico avalie o tecido cerebral. “São alternativas importantes para reduzir os riscos de incapacidade e mortalidade”, acrescenta Dinark.


EMBOLIZAÇÃO: AVANÇOS TAMBÉM NO TRATAMENTO DO AVC HEMORRÁGICO
O tratamento do AVC hemorrágico também é mais eficiente quando o paciente tem atendimento nas primeiras horas. Nos casos em que o coágulo é volumoso, ele pode comprimir o cérebro, aumentando a pressão dentro do crânio e
levando à morte em poucas horas. Nessa situação, o paciente deve ser submetido a uma neurocirurgia para drenagem do hematoma. Quando a hemorragia é decorrente da ruptura de um aneurisma cerebral o foco do tratamento é ocluir a lesão. Segundo o neurocirurgião Dinark, que realiza também essa técnica, o procedimento pode ser feito por meio da clipagem por neurocirurgia aberta ou mais recentemente pela realização de embolização conduzida através de um cateterismo cerebral, sendo igualmente efetiva, porém menos invasiva.

O QUE É PRECISO SABER SOBRE AVC E SUA PREVENÇÃO

Mesmo com tantos avanços na ciência, o acidente vascular cerebral (AVC) é ainda a segunda causa de incapacidade e morte no mundo todo. As limitações causa das por um AVC dependem da parte cerebral afetada e pode ocorrer em qualquer faixa etária, em ambos os sexos.

Os principais fatores de risco são: histórico de doença vascular prévia; doenças do coração, especialmente as que produzem arritmias (batimentos cardíacos desregulados); tabagismo; hipertensão arterial; diabetes; sedentarismo; colesterol alterado; má alimentação; obesidade, álcool e drogas. “Para prevenir é importante manter uma dieta saudável com pouco sal, fazer o controle do peso, de diabetes, da hipertensão arterial e do colesterol. Exercitar-se, limitar o consumo de álcool e não fumar colaboram na prevenção”, explica Alfredo.

Dr. Dinark Viana,
CRM-SP: 147 144/ RQE: 63 387-1, é neurocirurgião e neurorradiologista invervencionista formado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP.
Mestre em Ciências das imagens e doutorando em neurociências pela
USP.
Dr. Alfredo Weltson,
CRM: 120 827 / RQE: 33835, médico formado pela Faculdade de
Medicina de Ribeirão Preto – USP, residência médica em neurocirurgia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP e título de especialista em cirurgia de coluna pela Sociedade Brasileira de Coluna.
Dr. Jose Zeraick Neto,
CRM-SP: 168 424 /RQE: 84 493, é neurocirurgião pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia/ AMB, formado pelo Hospital de Caridade São Vicente de Paulo em Jundiaí com área de atuação em neurocirurgia funcional.

CONHEÇA OS SINAIS DE ALERTA
Conheça os sintomas do AVC presentes na expressão SAMU e que podem salvar vidas: sorria, abrace, mensagem, urgência.


SORRIA: peça para a pessoa sorrir. A pessoa com AVC tem um sorriso assimétrico e com o lábio mais puxado
para um lado do rosto.


ABRACE: faça a pessoa levantar os braços. Um lado está mais fraco e com dificuldade de movimentação?
No AVC, a pessoa não consegue abraçar.

MÚSICA / MENSAGEM: peça para a pessoa repetir uma frase ou uma música. Se ela não conseguir entender ou não conseguir repetir com clareza, provavelmente está tendo um AVC.

URGÊNCIA: lembre-se que qualquer um dos sinais significa uma grande chance de AVC e que é necessário
que a pessoa seja levada ao hospital com urgência. Aja rapidamente e ligue SAMU 192.

DOENÇA DE PARKINSON ESPECIALIDADE DO DR. ZERAICK

NEUROCHIRURGIE.ME TAMBÉM É REFERÊNCIA EM IMPLANTES CEREBRAIS PARA DOENÇA DE PARKINSON


Os neurocirurgiões da Neurochirurgie.me também são especialistas em outros procedimentos na área neurológica. A
clínica oferece um atendimento multidisciplinar de terapias avançadas e inovadoras, como cirurgia de coluna e dor crônica, neurocirurgia pediátrica, tumores cerebrais e medulares.
Entre os procedimentos realizados também está o implante de eletrodo cerebral, o que há de mais recente no tratamento da Doença de Parkinson, que está entre os distúrbios neurológicos que mais crescem, caracterizando-se como a segunda doença neurodegenerativa mais prevalente.

O AVC É UMA EMERGÊNCIA MÉDICA: QUANTO MAIS RÁPIDO O ATENDIMENTO, MAIORES SÃO AS CHANCES DE
RECUPERAÇÃO COMPLETA, DIMINUINDO A MORTALIDADE E AS SEQUELAS DO PACIENTE


De acordo com o neurocirurgião José Zeraick Neto, o procedimento estimula, por meio de um dispositivo, as regiões
do cérebro responsáveis pela manifestação dos principais sintomas da doença, como tremor, lentidão (bradicinesia)
e rigidez. Considerado pouco invasivo, o método instala o dispositivo por um pequeno orifício, com anestesia local e
o paciente consciente. “Depois de instalado, o eletrodo não precisa mais ser substituído e a bateria, fixada no mesmo local do marcapasso da cirurgia cardíaca, é trocada quando necessário”, diz.
Apesar de não significar a cura do Mal de Parkinson, o implante possibilita que o paciente mantenha o controle dos
sintomas motores por mais tempo, retardando o comprometimento da doença. “É possível adiar em 20 e até 30 anos o estágio avançado do Parkinson em que surgem complicações cognitivas”, finaliza

Leia mais

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.