Casar em 2020: As tendências convertidas no novo normal

por | 2 nov, 2020 | 0 Comentários

As celebrações se modificam e adicionam costumes no caminho para o altar.

Quando o assunto é casamento, existem diversas previsões, tendências e ideias. Explorar esse universo é uma aventura e não existe mapa para encontrar o tesouro, pois ele muda de acordo com o casal. Há quem opte pelos clássicos e quem escolha a modernidade. Mas a nova tendência é personalizar.

A mistura de estilos é uma solução para os que gostam de detalhes atemporais mas também querem mesclar com o charme do contemporâneo. Por exemplo: uma noiva pode combinar a coloração tradicional de verde e branco com peças pretas e detalhes em ferro, criando um atrativo a mais na festa. “A gente pode afirmar que nesse ano as características próprias, você criar o seu próprio estilo, são tendências”, conta Gisele de Campos, produtora do espaço Terrá, local que atende esse tipo de evento.

Colocar atributos e gostos do par na celebração gera vinculo e reconhecimento. Se eles gostam muito de comida japonesa e adicionam uma ilha com as comidas típicas da cultura, mostram autenticidade e fazem com que os convidados os encontrem em cada detalhe. Para Gisele, a ideia do estilo “é trazer a personalidade do casal. Você busca o que eles tem de característico, para que quando o convidado entre na festa, perceba a originalidade deles”, conta.

A média da idade do casamento subiu

Um detalhe curioso é que as pessoas se casam cada vez mais tarde. Segundo dados do IBGE, nos casamentos civis entre pessoas de sexos diferentes, a média da idade subiu. Em 2017, os homens casavam-se com aproximadamente 26,7 anos e hoje a faixa etária é de 30,8 anos. Já as mulheres costumavam passar pelo matrimônio aos 23 anos e a média se alterou para 28,2.

“Hoje em dia os casamentos tem sido mais de pessoas mais velhas do que jovens”, retrata Gisele.

A idade altera a visão de mundo e repertório. Consequentemente, as ideias para casamentos também mudam conforme a experiência de vida.

Além disso, o minimalismo também tomou conta do cenário. Antes o marsala bombava, agora passamos para as cores pastéis e a aposta é que esse ideal continue. De acordo com a produtora, “o futuro vai ser cada vez mais minimalista. As pessoas tem buscado praticidade, conforto”.

Esse modo de vida mais prático e dinamizado está presente também nas tendências de decoração. O pensamento hoje não é mais focado em arranjos imensos. Em vez disso, o destaque vai para os detalhes que marcantes.

Pandemia e novos olhares

Com a pandemia de Covid-19, a indústria casamenteira precisou de uma revolução. A questão do distanciamento e uso de máscaras. O contato tão próximo no dia especial.

Um questionamento que gerou rebuliço foi quanto à gastronomia. “Vai poder. Mas tem que ter um controle, lógico. Tem que ter alguém servindo com máscara para não ter cada convidado pegando nos utensílios e passando de mão em mão”, completa Gisele. Outras instruções incluem o uso de luvas e viseira.

Justamente por esse motivo, tendências surgem e outras retornam. O finger food que teve uma disparada em meados de 2012, reaparece como uma solução para a questão da alimentação. Gisele compartilha que quando “o mercado todo fez finger food, houve uma queda porque não souberam fazer. Foi um finger food com pouca comida”. Agora, com anos de experiência e mais opções, o método faz sucesso.

Além disso, o astro da pandemia, o álcool em gel se mantém. Disponível nas mesas, na entrada da festa e também nas ilhas que tendem a crescer por conta da personalização.

E é comum nos questionarmos sobre o que existe no horizonte das celebrações. É notável que muitos deixaram as suas festas para o futuro mas muitos ressignificaram o amor. “Eu vejo que a pandemia trouxe muito à tona a questão de você celebrar. Trouxe a valorização a vida. Para a gente, o que parecia uma crise, virou uma oportunidade”, finaliza Gisele.

Leia mais

Última Palavra: Marina Monfrinato

Última Palavra: Marina Monfrinato

Somos os responsáveis por tudo o que acontece em nossa volta. Acho que você já ouviu isso inúmeras vezes, não é mesmo?...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.