Reflexo virtual

por | 6 abr, 2020 | 0 Comentários

Se sua rede social fosse um espelho da sua vida, a imagem refletida corresponderia à realidade? Ou, assim como muitos, você criou uma nova personalidade para o mundo online?

Os números não são nada discretos: mais de 2,77 bilhões de pessoas estão ativas nas redes sociais ao redor do mundo. A projeção do site Statista, especializado em dados e estatísticas do mercado de consumo, é que em 2021 esse número aumente para 3,02 bilhões. É muita gente online compartilhando seu dia a dia, gostos e desgostos, relacionamentos e tudo mais que possa ser do interesse de qualquer outra pessoa. Basicamente um grande Big Brother fora da TV. Mas será que todas essas bilhões de pessoas estão entregando sua verdadeira personalidade nos seus posts?

Pensa comigo, você com certeza conhece alguém que tem um feed lindo no Instagram, cheio de fotos com frases motivacionais, sorrisos, churrascos de fim de semana, muitos amigos… E quando encontra essa pessoa no tête-à-tête, se depara com um poço de amargura. Sem sorrisos, sem motivação. “Ué”, tenho certeza que você pensa. “Mas hoje cedo ela postou um story tão feliz… O que será que aconteceu?” Pode ser que, de fato, algo não tão legal tenha acontecido no meio tempo, mas também pode ser que ela tenha criado uma dupla personalidade virtual – uma versão melhorada, sem defeitos, sem problemas, sem chateações, para mostrar ao mundo uma vida perfeita que simplesmente não é real.

Imagine outra situação: mãe e filha chegam na piscina do prédio lindas, com biquínis iguais. A mãe, com seu cabelo perfeitamente enrolado com um lenço que também combina com o biquíni, tira da bolsa um protetor solar de marca e alguns brinquedos, e os espalha sobre uma toalha enorme, novíssima. Então, depois de encontrar o melhor ângulo e a melhor luz, saca um tripé da bolsa e tira algumas fotos com a filha no cenário que ela criou. A filha pede para entrar na piscina, a mãe fala para ela esperar e tira algumas fotos da pequena em frente a piscina – ela sorri em todas, como sempre faz. E então a mãe diz que ela pode brincar. Ela entra na piscina sozinha e brinca um pouco na água, enquanto a mãe mexe no celular. A pequena pede algumas vezes para a mãe brincar com ela, mas não tem resposta. “Mamãe, vem brincar comigo”, ela pede mais algumas vezes. Nada. Dez minutos depois, a mãe guarda o celular, junta o protetor solar que não foi aplicado, os brinquedos que nem encostaram na água, chama a filha e elas vão embora. No Instagram dela, fotos perfeitas com a filha acompanham a legenda “Dia divertido com a pequena na piscina! #criandomemórias”.

Esse relato rodou a internet recentemente – se é real, jamais saberemos. Mas gera uma boa reflexão sobre nosso próprio comportamento online, não?

VIRTUAL PODE AFETAR O REAL

Pesquisadores da Universidade da Tasmânia, na Austrália, estavam determinados a compreender as consequências da falta de autenticidade online das pessoas. Eles recrutaram 164 pessoas para participar do estudo. Os voluntários responderam primeiro um questionário sobre seu “eu verdadeiro”, ou seja, as características que consideravam mais importantes na própria personalidade. Depois, outro formulário adaptado perguntava como elas reagiriam no Facebook a determinadas situações. Com as respostas em mãos, os cientistas foram capazes de calcular o quanto a personalidade online e offline coincidem em cada pessoa. Além disso, os voluntários responderam perguntas que avaliavam o quanto se sentiam conectados socialmente, estressados, deprimidos e ansiosos.

O resultado: as pessoas mais autênticas se sentiam mais conectadas e menos isoladas na vida real. Já aquelas que criaram personas diferentes das suas versões offline tendiam a sofrer com mais estresse. A razão? Os pesquisadores assumem que quem opta por criar uma personalidade falsa nas redes sociais necessitam de mais esforço emocional para manter a mentira em dia, o que pode gerar estresse.

ENCARE O ESPELHO

Pare por alguns minutos e reflita: o seu reflexo virtual corresponde à realidade? Tudo bem se a resposta for um pouco embaçada ou até positiva – mas agora sabendo que manter uma falsa personalidade online pode afetar sua saúde, que tal acompanhar algumas dicas para tornar mais leve a experiência com as redes sociais? Considere os seguintes pontos:

Pare de se comparar com os outros. Porque na realidade, quando fazemos isso, estamos nos comparando com a percepção que temos da outra pessoa, e não com o que ela realmente é. Sendo assim, nos comparamos com um ideal de alguém, e não com uma representação real.

Seja autêntico com você mesmo: quais são as suas melhores características? Invista nelas, tanto no dia a dia quanto no conteúdo que compartilha online. As pessoas gostam de seguir pessoas com as quais elas se identificam, que são reais e têm características e vidas reais. Trabalhe o medo de mostrar seu verdadeiro “eu” e explore isso também online.

Ao invés de gastar energia criando histórias falsas e mirabolantes para postar nas redes sociais, invista seu tempo em alinhar as suas características reais com a personalidade ideal que você almeja. Em vez de passar horas buscando tirar a foto perfeita, e mais alguns minutos pensando na legenda perfeita, que tal usar esse tempo vivendo o momento, escrevendo algo real, e investindo em você mesmo?

Leia mais

Última Palavra: Marina Monfrinato

Última Palavra: Marina Monfrinato

Somos os responsáveis por tudo o que acontece em nossa volta. Acho que você já ouviu isso inúmeras vezes, não é mesmo?...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.