JOVEM EMPREENDEDOR PIRACICABANO SE DESTACA NA EXPORTAÇÃO DE FRUTAS EXÓTICAS

por | 10 jul, 2023 | 0 Comentários

Com apenas 22 anos, Gabriel Luis Furlam decidiu seguir o legado da família no agronegócio e inova ao investir em fruticultura. A primeira safra de maracujá doce já alcançou compradores na Europa, Canadá e Dubai

Com gosto, textura e visual incomum, as frutas regionais caem no gosto dos consumidores locais e até mesmo de outros países. Com essa preferência, a produção e o consumo de frutas exóticas ganham força no Brasil e de olho neste mercado, o jovem empreendedor de Piracicaba, Gabriel Luis Furlam, decidiu apostar suas fichas na fruticultura e, mesmo no período da pandemia, sua primeira safra de maracujá doce atravessou o oceano e chegou em países da Europa, Canadá e Dubai.

Gabriel vem de uma família com uma longa tradição no agronegócio. Tudo começou com seus avós quando compraram a fazenda da família nos anos de 1960. Localizada no município de Conchas, próximo à Piracicaba, a propriedade sempre foi especializada em culturas de grande extensão, como cana-de-açúcar e laranja. Embora seu pai tenha experimentado a fruticultura no passado, foi somente em 2019 que Gabriel, seus pais e um tio decidiram abrir a empresa Fazenda da Barra, com a intenção de retomar a produção de frutas, começando com o maracujá doce, atemoia e pitaia.

HÁ TEMPOS QUE MEUS PAIS QUERIAM INVESTIR EM UM NOVO NEGÓCIO. E O CONVITE PARA SER SÓCIO DA EMPRESA FOI UMA OPORTUNIDADE PARA CONTINUAR ESSE LEGADO TÃO BONITO DA MINHA FAMÍLIA. A PAIXÃO POR CARROS CONTINUA E SERÁ REALIZADA DE OUTRO MODO. E HOJE SEI QUE FIZ A ESCOLHA CERTA, diz o jovem empreendedor Gabriel Luis Furlam

Cursando Engenharia Mecânica na Unesp em Bauru e apaixonado por carros, a proposta o fez ajustar a rota e aceitar o desafio. “Há tempos que meus pais queriam investir em um novo negócio. E o convite para ser sócio da empresa foi uma oportunidade para continuar esse legado tão bonito da minha família. A paixão por carros continua e será realizada de outro modo. E hoje sei que fiz a escolha certa”, compartilha o jovem empreendedor.

A expansão e os desafios durante a pandemia
Na Fazenda da Barra, os sócios se dividem entre as atividades e cada um assume uma área. Enquanto Gabriel se dedica na parte de gestão de processos e funcionários junto com seu tio, a área comercial se mantém com seu pai e o setor administrativo-financeiro com sua mãe. Durante a pandemia em 2020, Gabriel, que estava tendo aulas on-line, teve a oportunidade de dedicar mais tempo à empresa.

COM O RESULTADO POSITIVO DA PRIMEIRA SAFRA DE MARACUJÁ DOCE, CONSEGUINDO EXPORTAR A FRUTA MESMO EM MEIO À PANDEMIA, FOI POSSÍVEL PARTIR PARA O PRÓXIMO PASSO: OBTER AS CERTIFICAÇÕES DE
EXPORTAÇÃO PARA A EXPANSÃO DO NEGÓCIO.

Com o resultado positivo da primeira safra de maracujá doce, conseguindo exportar a fruta mesmo em meio à pandemia, foi possível partir para o próximo passo: obter as certificações de exportação para a expansão do negócio.

Com base na experiência inicial de exportação, Gabriel e seus sócios perceberam que a obtenção de certificações era essencial para alcançar melhores preços e acesso a mercados mais exigentes, como a da União Europeia. Eles buscaram a certificação GlobalG.A.P, que garante a rastreabilidade e a qualidade dos produtos agrícolas, e contaram com a ajuda de uma empresa especializada para realizar as adequações necessárias em termos de processos e instalações.

Durante o processo de certificação, a Fazenda da Barra enfrentou desafios relacionados à adoção de práticas e estruturação da empresa, mas foi um rico aprendizado para os sócios. “Buscamos soluções inovadoras e o uso de tecnologia em nossa produção. Automatizamos alguns processos e temos agora um engenheiro de segurança do trabalho atuando na fazenda no controle dos procedimentos para mantermos em dia tudo o que a GlobalG.A.P exige”, conta.

Atualmente, com 22 anos e cursando o último semestre da faculdade, Gabriel ainda faz estágio na empresa Volvo do Brasil. “Hoje, o desafio é a gestão do tempo para conciliar todas as tarefas com a agenda e as atividades da fazenda. Mas posso dizer que muitas coisas que aprendo no estágio da Volvo, principalmente na gestão de projetos, apesar de serem áreas diferentes, consigo aplicar dentro do nosso negócio e está sendo bem importante também”, completa.

Perspectivas futuras
Os próximos planos já estão traçados. Ao término da faculdade e estágio, a dedicação será integral à Fazenda da Barra para a expansão da área de plantio para 2024. A primeira safra de maracujá doce fez uma produção de 40 toneladas por hectare e a perspectiva de Gabriel é quadruplicar a área de plantio. “Com a safra de 2023 de maracujá doce e as primeiras colheitas de atemoia e pitaia, vamos avaliar o potencial desses produtos para expandir nossa produção e, com isso, gerar novas contratações e ampliação das nossas instalações”, antecipa.

A Fazenda também poderá diversificar os negócios. Outra iniciativa dos sócios foi estabelecer uma parceria estratégica com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Por meio do programa ALI (Agentes Locais de Inovação), o Sebrae auxilia empreendedores na implementação de melhorias e inovações em seus negócios.

O programa ALI tem sido especialmente relevante para a Fazenda da Barra, pois Gabriel tem o objetivo de industrializar alguns de seus produtos agrícolas. Essa verticalização do processo consiste em agregar valor à produção, transformando as frutas em polpas ou sucos, por exemplo. “Parte das frutas, mesmo estando em excelente estado para consumo, caso apresente alguma imperfeição externa, não são aptas para venda aos clientes, podendo ser aproveitadas para a produção de polpas”, revela.

TUDO ESTÁ SENDO MUITO INTENSO. ATUAR NO SETOR DE AGRONEGÓCIO NÃO É UMA TAREFA FÁCIL. EXIGE MUITO PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIA PARA MANTER O CULTIVO, AO MESMO TEMPO EM QUE CORREMOS RISCOS GRANDES COM MUDANÇAS CLIMÁTICAS, POR EXEMPLO. ESCOLHI ESTE CAMINHO E SIGO CONFIANTE, SABENDO QUE SERÁ NECESSÁRIO
MUITA DEDICAÇÃO, PERSEVERANÇA E INOVAÇÃO, comenta o jovem Gabriel Luis Furlam,

O Sebrae, por meio do programa ALI, oferece suporte e ferramentas de gestão da qualidade para ajudar Gabriel a concretizar seu plano de estabelecer uma indústria de processamento. No encontro inicial com o Sebrae, eles mapearam todas as atividades desenvolvidas na fazenda, discutiram objetivos e identificaram os potenciais e pontos de melhoria do negócio. Essa parceria se estenderá para o próximo ano, quando serão implementadas as ações necessárias para a industrialização dos produtos.

“Tudo está sendo muito intenso. Atuar no setor de agronegócio não é uma tarefa fácil. Exige muito planejamento e estratégia para manter o cultivo, ao mesmo tempo em que corremos riscos grandes com mudanças climáticas, por exemplo. Escolhi este caminho e sigo confiante, sabendo que será necessário muita dedicação, perseverança e inovação”, completa Gabriel.

Leia mais

Projeto H. – Heroica.

Projeto H. – Heroica.

O Projeto teve início em 2014, com o intuito de acolher e aconselhar mulheres vítimas de violência, apoiá-las no...

#Cáentrenós

#Cáentrenós

Cristiane Teixeira Queridos Viajantes da Alma, Ao iniciar esta jornada na coluna #cáentrenós, senti que o primeiro...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

[mailpoet_form id="2"]